Resumidamente, a história da KAMPA começa em 1998, quando um jovem caipira de Piracicaba (interior de São Paulo) chamado Palmieri estava prestes a se formar na universidade e decidiu vender todo o pouco que tinha para fazer um curso de inglês no exterior. Seu objetivo de vida era ser um executivo de uma multinacional e falar inglês fluente era imprescindível.

Foi para a Austrália, fez o curso de inglês e enquanto trabalhava em uma fazenda colhendo abobrinhas para juntar dinheiro e voltar ao Brasil, conheceu um inglês que, sabendo da sua paixão por montanhas, o convenceu a ir até o Nepal.

A viagem de estudo que deveria durar um mês acabou levando mais de um ano mochilando pela Ásia até chegar ao Nepal da forma mais econômica possível. Viajando de carona (quando dava) e acampando em uma rede de nylon que tinha trazido na mala do Brasil e que tinha sido feita artesanalmente pela avó cearense de um de seus amigos.

A experiência de quase um mês caminhando pelo Nepal, um dos lugares mais pobres do mundo, foi o que, paradoxalmente, permitiu a ele encontrar uma riqueza de sorrisos gratuitos e felicidade ímpar. Tudo isso fez Palmieri repensar os seus valores. O tão sonhado pacote de acúmulo de capital, posição social, sucesso profissional e carro do ano foi substituídos por liberdade, equilíbrio, saúde, paz e tempo livre.

Ao voltar ao Brasil, Palmieri já estava mudado. Desejava trabalhar com algo que lhe permitisse passar mais tempo na natureza. Este é um resumo de como surgiu a inspiração para a criação da KAMPA. Na entrevista abaixo, feita em 2018 na antiga loja Arco e Flecha, hoje Nepal Montanhismo, Palmieri relata com mais detalhes como tudo começou. Senta que lá vem história…

Desvendando o Mercado de Aventura
Canal Nepal Montanhismo

POR QUE KAMPA

A escolha do nome KAMPA é uma homenagem aos inventores das redes de descanso: Os indígenas da América do Sul. KAMPA é uma das denominações dada aos indígenas que vivem na região oeste da floresta Amazônica e que também são conhecidos como Ashaninka. A característica principal dos Ashaninka é a intensa reciprocidade entre as famílias, pois, desde a carne e o peixe, tudo é distribuído pela esposa do caçador dentro do grupo local.

Foi com este espírito, o desejo de transformar um sonho em realidade e fazer do dia-a-dia de trabalho uma diversão que a KAMPA veio ao mundo. Existimos para  proporcionar bem-estar e qualidade de vida aos consumidores, funcionários e colaboradores da empresa através de equipamentos práticos e funcionais, desenvolvidos para atividades ao ar livre.

Então, se você tem um elogio, comentário ou reclamação, converse com a gente, e você será atendido por alguém que, se não souber a resposta à sua dúvida, irá buscá-la e em seguida ligará para você.

Filosofia Kampa

Você, cliente, não depende da KAMPA. Somos nós que dependemos de você.
Saiba que você jamais irá interromper nosso trabalho, pois você é a razão da nossa dedicação.

Não estamos prestando um favor ao servi-lo, é você que está nos dando uma oportunidade. Sem isso, até mesmo o melhor equipamento não tem valor. Tratá-lo como gostaríamos de ser tratados é a melhor forma de conquistar sua confiança.

Sinta-se convidado para nos escrever falando sobre suas experiências de uso de nossos equipamentos. Assim, aprenderemos com seus comentários e desenvolveremos produtos cada vez melhores.​