Para quem não reconhece a paisagem abaixo, este é do Maciço dos Picos Marins e Itaguaré (2.421 metros de altura) em território paulista, nos municípios de Piquete e Cruzeiro, distante somente 200 km da capital. Entre os dois maiores centros urbanos do país, São Paulo e Rio de Janeiro, inserida totalmente no Bioma da Mata Atlântica está a Serra da Mantiqueira.

Uma região única, de inquestionável prioridade para a conservação da natureza e que vem sendo degradada desde o descobrimento do nosso país.

Agora, depois de anos de ocupação desordenada, a Serra da Mantiqueira se discute aformas de preservar um pouco de sua riqueza.
O processo de criação encontra-se em fase consultiva, momento em que a sociedade é convocada a manifestar sua opinião.

Você é contra ou a favor? Qual sua opinião?
Envie um email para consultapublica@icmbio.gov.br e exerça sua cidadania.

Para saber mais: Rede Nacional das Unidades de Conservação

A primeira consulta pública será no dia 8/12 (terça-feira), às 18h, na Câmara Municipal de Vereadores de São José dos Pinhais (Rua Veríssimo Marques nº 699, Centro). A segunda ocorre no dia 9/12 (quarta-feira), também às 18h, no salão paroquial da Igreja Matriz de Guaratuba (Avenida 29 de abril nº 51, Centro). A terceira consulta está marcada para as 16h do dia 10/12, no Teatro Municipal de Antonina (Rua Dr. Carlos Gomes da Costa s/n, Centro).

46 Replies to “Opine Sobre a Criação do Parque Nacional Altos da Mantiqueira”

  • Prezados, o projeto envolve muitos Municipios e uma area muito grande. Precisa de tempo de debate, do que depende integralmente o seu sucesso e a protecao do meio ambiente. Por melhor que tenha sido feito o estudo geografico de cobertura vegetal, precisa ser melhor debatido com as comunidades locais para evitar graves desequilibrios sociais, economicos e culturais que serao trazidos pelo projeto nos moldes atuais. A area do Parque envolve propriedades produtivas, pequenas propriedades, bairros rurais e urbanos, patrimonio historico e cultural e empreendimentos hoteleiros. A comunidade local nao foi envolvida na execucao do projeto e agora precisa ser ouvida, antes que este novo Parque, que deseja ser otimo, crie seu lado negro, como o Parque Itatiaia e da Bocaina. Se o Parque pode demorar 5 anos ou mais para ser implantado, pode tambem esperar alguns meses antes de ser criado. Em nome da protecao ambiental consciente, responsavel, participativa, equilibrada socialmente e economicamente. A pressa e inimiga da perfeicao.

  • Centenas de famílias serão desalojadas de suas fazendas, sítios e chacaras. Produtores que dependem da agricultura para sobreviverem e abastecer as cidades viverão onde e sobreviverão de que? Na Serra da Bocaina os moradores estão a mais de 20 anos esperando as indenizações.
    Nossa serra da Mantiqueira já está bem preservada comparem fotos da década de 70 em diante e vejam como a preservação já esta sendo realizada. Vocês acham q o Governo Federal vai conseguir tomar conta de toda essa área? Olhem a Amazonia como está! Voces estão vendendo o Brasil aos poucos, tomem cuidado vcs estão vendendo seus filhos.

  • Ótima notícia! Trata-se de uma área imersa numa região já altamente densa em população –entre Rio de Janeiro e São Paulo– e que ainda é um patrimônio natural a ser preservado. A Serra da Mantiqueira é linda. Nós, moradores do Vale do Paraíba, estamos felizes com a criação do Parque Nacional Altos da Mantiqueira, pois isso ainda ajudará a despoluir o rio cá embaixo.

  • Meus caros, a minha pergunta é: vocês realmente conhecem a nossa região da Serra da mantiqueira???
    Trata-se realmente de uma região lindíssima, e sem dúvida deve ser preservada. Porém a forma de condução deste processo junto aos municípios tem sido desrespeitosa e totalmente apartada da realidade da população local. Os envolvidos são muitos. Pessoas que sempre viveram e trabalharam aqui e na sua grande maioria, sequer sabem da proposta de criação deste Parque Nacional. O projeto implica em grande impacto sócio-econômico e cultural na região, além da desapropriação de propriedades privadas, muitas vezes bem conservadas e preservadas pelos próprios donos. A criação deste Parque envolve de forma direta e indireta 400.000 pessoas, nos 14 municípios onde o mesmo seria instalado. Tenho participado das audiências públicas, o que se vê é a população do local totalmente contra este Projeto. A insatisfação é geral. Porque a população está contra? Está contra, principalmente pela forma equivocada e amadora na apresentação do Projeto, pelos técnicos do ICMbio. Sem desmerecer os conhecimentos destes profissionais, porém o estudo realizado se esqueceu da preservação do homem. Principalmente daqueles que amam e cuidam(muito bem) do lugar em que vivem: a Serra da Mantiqueira. Se hoje existem falhas ambientais nesta região, em grande parte deve-se isto, aos órgãos que deveriam cuidar e orientar a população – pois esta região já é uma APA( há 25 anos). Então podemos dizer que a APA da mantiqueira não saiu do "papel". Então devemos tomar cuidado ao defender romântica e idealisticamente a criação deste Parque Nacional, para que este não se torne um parque apenas no papel. Ou pior, que se torne como outros Parques Nacionais já existentes em nossa região, que servem de palco para o extrativismo ilegal de palmito, caça de animais silvestres, entre outras mazelas, que os responsáveis não dão conta de cuidar decentemente. É de conhecimento público a precariedade que impera hoje em áreas como o do Parque da Bocaina e da Serra do Mar. Nós NÃO queremos isto para nossa Mantiqueira. Queremos que ela seja realmente seja PRESERVADA e não ABANDONADA, como estes outros parques. O momento pede muita reflexão, devemos ter conhecimento e profundidade ao formar opiniões.

  • Gente pelo amor de Deus NÃO ajudem nessa idéia absurda. O povo brasileiro tem o direito de ser informado primeiro como funciona o SNUC ou seja, SIstema Nacional de Unidades de Conservação, a Lei Federal 9.985/2002, esta é lei qum cria as Unidades de Conservação no BRASIL. Segundo esta lei, existem duas categorias de UNIDADES DE CONSERVAÇÃO:1. AS DE PROTEÇÃO INTEGRAL (as pe as pessoas são desapropriadas),tipo parque nacional, e USO SUSTENTÁVEL. (as pessoas não saem de seus lugares). Minha pergunta é, porque querem criar parque numa região onde 500.000 serão afetadas direta ou indiretamente. Inventaram esse parque sem sequer consultar as prefeituras das 19 cidades da área da proposta de criação do parque. Para onde irão essas famílias, comunidades rurais inteiras. São trabalhadores honestos e só por que são HABITANTES DA MONTANHA TERÃO QUE SAIR, ir embora para onde? E aquele velhinho que só soube viver daquele chão de terra para onde ele vai com 80 anos de idade, ele que que trabalhou de sol a sol, plantou árvores, não poluiu, agora depois de anos e anos é ele quem vai pagar o preço de tudo isso? cuidado pense e obrigado por não assinar.

  • A quem interessa um Parque Nacional?

    Polêmicas à parte, alguém já se perguntou a quem interessaria criar no papel um Parque Nacional numa região onde já existe há muitas décadas uma APA Nacional? Por que deveria ser desapropriada uma região cercada por Parques Estaduais, RPPN´s, Estradas Parques e tantos outros mecanismos de proteção ambiental reais, práticos e atuantes?

    Certamente não é de interesse da população local. Qualquer um que de fato, de verdade mesmo, conhece a região chamada de Altos da Mantiqueira sabe que sua população é totalmente enraizada no lugar onde nasceu. Não são, de maneira alguma, populações migrantes, transitórias ou temporárias, que sonham um dia voltar à sua terra. Para o habitante da Mantiqueira, a Serra é, sempre foi e sempre será, a sua terra e de seus ancestrais.

    Os pequenos bairros, povoados e vilarejos que nasceram nos contornos da Mantiqueira são formados, em sua grande maioria, por grupos de famílias aparentadas entre si. Na Mantiqueira todo mundo é parente de todo mundo. São primos, sobrinhos, cunhados, tios e avós espalhados por cada pequeno sítio ou chácara.

    Algumas famílias habitam o mesmo lugar desde o final do século 18, ainda no ciclo do Tropeirismo. Cidades da região receberam seus nomes atuais devido às tropas de mulas que descansavam no “Piquete” antes de levarem alimentos e trazerem carregamentos de ouro (a “Pedra Amarela” – “Ita Yubá” em Tupi).

    Então, se o interesse não é dos habitantes do lugar, talvez seja dos chamados turistas ecológicos, esportistas da natureza ou amantes do ambiente silvestre, que querem transformar a região num Parque Nacional? Mas por que fariam isso? Não seria um tiro no pé?

    Todos sabem que no Brasil um Parque Nacional não é “Nacional”, ou seja, não é área de domínio público, não é “do povo” e muito menos “para o povo”. Não existe a possibilidade de se praticar esportes de natureza, escalar, acampar ou fazer trilhas e travessias. Portanto não interessa nem aos turistas e muito menos às atividades de um Turismo Conservacionista praticado numa das regiões mais privilegiadas do país, localizada entre os três principais Estados do Brasil.

    Parque Nacional por aqui é visto como um santuário intocado, destinado à “preservação absoluta”. Na prática e na vida real isso não passa de um mito. Nossos “Parques nacionais” não possuem a mínima infra-estrutura para que essa suposta preservação aconteça de fato. Sem recursos financeiros, sem um Plano de Manejo sustentável, e com pouquíssimos funcionários (mal treinados e mal remunerados), nossos parques tem se mostrado muito mais como usinas de miséria e fome ao entorno das “áreas protegidas”. Não é o caso dos Parques Nacionais de Itatiaia e Bocaina? E o pagamento das indenizações? Por onde anda até hoje? Será que nas cuecas ou meias de algum político?

    Hora, quem de fato protege a APA da Mantiqueira (criada há mais de 20 anos pelo Decreto Nº 91.304, de 03 de Junho de 1985) são os moradores e proprietários estabelecidos na região há muitas gerações. São as famílias que trabalham e vivem da terra que barram os palmiteiros e caçadores ilegais, os coletores de plantas e animais silvestres, os drogados e incendiários. Os vândalos e invasores.

    Uma sociedade não pode ser refém de quem supostamente a representa perante a Lei. Não podemos e não devemos ficar esperando pela sentença de sermos punidos por defendermos a preservação do meio ambiente. Por que nós, seres humanos, também somos parte desse mesmo ambiente natural.

    Não existe preservação ambiental onde a vida humana, sua cultura, suas crenças e tradições também não forem igualmente preservadas. Alguém já disse que não basta legar um planeta melhor para os nossos filhos, mas é preciso também deixar filhos melhores para o nosso planeta.

    Portanto eu termino com a mesma pergunta: A quem interessa a simples criação de um Parque Nacional Altos da Mantiqueira que em nada contribuiria para a sociedade

  • …querem tirar pessoas que tem uma história de batalhas pra virar um parque em esquecimentos…pois quem mora ali cuida e o governo se cuidasse a amazonia não estaria como está….penso que o GOVERNO devia cuidar melhor dos parques que possue e não desalojar pessoas que cuidam da mata por aki..

  • Desde que seja discutido e apresentado soluções para as diversas familias que dependem das terras aqui desejadas, poderemos concordar, caso contrário vamos brigar. Chega de interesses de poucos em nome do Meio Ambiente se sobrepor a interesses de muitos.

  • Sou de Guaratinguetá, e acho uma coisa absurda esse parque da maneira q querem implantar. vai virar alvo de ongs naturebas q querem alguma verba pra se manter as custas dos desapropriados. a região jah eh bem controlada. pra se ter uma idéia naum pode construir nada sem autorização e quando autorizado controlado de perto. agora desapropriar eh um abuso. são terras q passaram de gerações e tem uma história muito linda…agora um zé q nem conhece essa história quer desapropriar ..

  • Vocês estão tão longe da realidade, quanto nosso país de ser uma democracia que merça tal nome. Pensem… Qualquer forma de imposição não pode nem deve ser aceita passivamente pelasociedade.

  • Gostaria de saber ja que o icmbio ja fizeram o estudo a demarcaçao de onde vai passar gostaria de saber qual o valor vai ser gasto por mês nesse parque quantos funcionario vai ter pra preservar sera que nao seria mais facil entra em um acordo com os proprio proprietarios pois eles ja conservao sem cobra nada e quem vai adiministra o dinheiro que vai entra pro parque ou sera que e so nisso que tao pensando.

  • Sou de Guaratinguetá e apóio totalmente essa idéia. Precisamos preservar essa grande área que é belíssima e está nas mãos de poucos fazendeiros. O prefeito de Guará tá revoltado? pudera! ele tem sua terrinha por lá… é o tar do coronelismo! mas se Deus quiser tudo isso será o Parque Nacional Altos da Mantiqueira, para alegria de muitos e tristeza de poucos.

  • Bom dia, td bem? Acho a criação do parque valido, porem não do jeito que o icm bio quer.
    vcs conhecem a "proposta" deles?
    vcs foram a alguma reunião? vcs sabem como eles vão se é que vão desapropriar as terras? vcs sabem quantas pessoas vão sair de suas terras com a criação do parna do modo que essa porcaria de instituto quer? vcs sabem como foi feito o mapa do parna? vcs sabem quantas vezes eles visitaram as terras que estão incluídas no parna? vcs sabem quem são os idiotas que estão apoiando a criação do parna? vcs sabem que o parna Itatiaia tem 72 anos e ninguém foi indenizado? vcs sabem que o parna da bocaina tem 38 anos e ninguém foi indenizado? vcs já visitaram a apa da Mantiqueira? quem é mais importante? o homem ou o animal? vcs sabem quem são os apoiadores desse parque? vcs sabem de onde eles são? as perguntas e respostas do site não possuem pé nem cabeça. veja e que momento eles incluem o animal homem nessas perguntas. o icn nunca visitou a apa Mantiqueira, não conhece seus moradores e não sabem como esta área esta preservada. como eles mesmos disseram o mapa do parna Mantiqueira foi feito por satélite e pelo Google earth, sendo que algumas cidades não possuem definição suficiente no Google earth. com relação às propriedades que eles dizem que tiraram é mentira, vcs acham que pelo instrumento usados eles conseguem visualizar quantos % das casas? eles queriam desapropriar sim os bairros rurais. como eles tomaram cuidados de delimitar o parque sem visitar se quer uma cidade? para pagar as indenizações vc s sabem quanto o governo vai ter que tirar do bolso? eu vou lhes dizem: de acordo com um dono de imobiliária local, o governo terá de desembolsar por volta de 1 bilhão e 300 milhões de reais. será que o governo lula não tem coisa melhor pra fazer com esse dinheiro? será que não tem gente precisando desse dinheiro? e a pobreza no Brasil? como fica? quantas casas do cdhu poderiam ser feita com esse dinheiro? com relação às estradas o seu site não diz a verdade. vcs conhecem Delfim Moreira e Marmelopoles? sabe como e a ligação entre as duas cidades? vou responder: é estrada de "chão". os prefeitos das duas cidade tentam a mais de anos asfaltar essa estrada, sendo ela o ÚNICO meio de comunicação entre as mesmas, e não estão conseguindo,pois, ela esta inserida na apa Mantiqueira.
    acho que vou parar por aqui. qualquer coisa me mande email.
    Obrigado
    Rodrigo pqt

  • sou de Guaratinguetá!!alguem sabe me dizer p onde vão as familias que lá vivem desde seus tataravós?e em especificamente do vilarejo monte verde é gomeral?no qual são trabalhadores rurais p o proprio sustento da familia!!!!!

  • sou de guaratingueta,minha familia vive na mantiqueira a mais de 50anos,mas especificamente no gomeral,por exmplo meu pai so tem 3 ano primario e minha mãe so tem 6 serie do ensino fundamental,vivem do cultivo da banana e hortalisas,que são vendidas nas feira livre da guaratingueta e aparecida.Tudo isso em 3 aqueres de terra que conseguiram com muita luta e suor ao longo deste 50anos.
    ME PERGUNTO ????????
    AONDE IRÂO MORRAR?????
    fazendo umas contihas descobrimos que receberemos do governo 4.500,00
    3alqueres * 1.500,00.se o governo pagar temos exemplos de familias da serra Bocaina que esperam a indenização a mais de 20 anos….
    se alguém ai?? conseguira sobreviver com essas miseria??? e mais meus pais vão morrar aonde?????? em media uma casa em guaratingueta custa 40mil reais.
    È MINHA GENTE PIMENTA NO OLHOS DOS OUTROS È REFRESCO….!!!

    NÂO AJUDEM ESSA FURRADA !!!!!
    QUEM NÂO CONHECE O GOMERAL È IR LÁ E VER COMO A POPULAÇÃO LOCAL CUIDA DA NATUREZA!!! CUIDA E BEM!!!

  • Não é possivel que ainda existam pessoas que acham que a criação deste parque venha melhorar em alguma coisa na preservação do meio ambiente aqui em nossa região, na nossa mantiqueira,que ao longo dos anos com a propria concientização dos proprietarios locais esta cada vez mais preservada. Não queremos entrar em estatisticas nem metas do governo para se mostrar para os gringos la fora, isto é um absurdo, do nada aparece um projeto mal elaborado, que os proprios representantes do instituto Chico Mendes na audiencia puplica assumiram que não tinhão dados nem informações suficientes para conclusão do proscesso.Quem acha que a criação do parque vai ser bom, procure informação antes de opinar por favor pois nossas entidades responsaveis pela conservação dos tais parques nacionais não conseguem se quer cuidar do dos que ja existem. Deveriam sim era ir a campo e criar projetos sustentaveis de coservação, e não sairem tirando os proprietarios de seus lares que na sua grande maioria sua terra é sua unica fonte de sustento, mas talves isto de projetos sustentaveis não lhes traga o statos nem o dinheiro que o parna altos da Mantiqueira com certeza os trara, as custas de muitas familias que hoje vivem a incertesa do amanha

  • A principio poderia dizer que trata-se de uma boa tentativa de preservar os recursos naturais, os quais sou totalmente a favor, visto também que nossa região é muito rica em recursos hídricos, fauna e flora, possui exuberância paisagística, com campos de altitude e os mais belos montes e picos do brasil, me arrisco até dizer do mundo.

    No entanto, sabemos como tem sido as criações de reservas e parques no nosso querido Brasil, desapropriações injustas com quem sempre cuidou da terra há gerações, e tira da própria o seu sustento e de seus familiares, gera empregos diretamente, sejam na agricultura, pecuária, apicultura ou hoteleira, e outros indiretamente no comércio local e região.

    Sabemos também que lamentavelmente nosso governo ainda não tem competência para proteger nossa riqueza e ainda pensa de maneira errônea que criações de parques e reserva vão resolver o problema, quando na verdade tendem a piorar pois quem mais tem interesse em preservar são as próprias familias que ali residem e tiram o seu sustento.

    Sou a favor de preservar, mas que o modelo de criação desse Parque seja revisto, afim de não prejudicar os moradores locais, caso contrário o desastre seria de proporções gigantescas.

    DIGA NÃO A IMPOSIÇÃO DA CRIAÇÃO DESTE PARQUE!

    Estamos diante de mais uma decepção do governo Lula, diantes de ínumeras denúncias e provas explícitas de corrupção, agora a criação de um Parque.
    A fim de favorecer a quem? Quem lucrará com isso?

    É justo expulsar do sertão famílias que vivem ali há gerações? Acordar num belo dia e simplesmente ter que ir embora sem rumo, pra um futuro incerto? Deixar pra trás uma história, uma vida, tudo que conquistou, seus sonhos?

    DIGA NÃO A ESTE ABUSURDO!

    VAMOS NOS UNIR!!!!!!

  • Estive lá em Pindamonhangaba. Presenciei muitos absurdos. Primeiro,parecia um comício político. Prefeitos fazendo discursos… É claro: o eleitorado deles estava lá. Se estivessem em uma reunião oficial,todos apoiariam a proposta. Coisas da política… Vi fazendeiros conhecidos das
    partes altas de Campos do Jordão e Pindamonhangaba reclamando com fúria do
    Parque. O que eles querem? Continuar desmatando as áreas acima de 1.800 metros –
    que são APPs – para continuar a criar ovelhas, cavalos ou desmatar para plantar framboesas? Acabar com os campos e florestas de altitude? Ora, essas atividades são proibidas em APP, desde o Código Florestal de 1965. Fiquei sabendo e fiquei estarrecido que os agricultores foram levados de ônibus por um desses fazendeiros! Foram usados como massa de manobra para bater palmas na audiência! Os advogados de nossa região estão fazendo a festa, tirando o suado dinheiro destes.
    Ora, quem circula entre o Pico do Itapeva e São José
    dos Alpes, vê todo tipo de irregularidade acontecendo. E os prefeitos apoiam isso em público! É lastimável…
    Esse parque está vindo na hora certa para alguns lugares e tarde demais para outros: o que aconteceu nessas áreas altas de Pindamonhangaba e Campos do Jordão é uma vergonha nacional. Podemos dizer que é um local fora da lei. Esse Parque
    Nacional, podemos dizer, é urgente, e daquilo que falta a ser preservado no
    sudeste, é um dos mais importantes. Os pequenos agricultores não devem se
    preocupar. É uma grande mentira que 500.000 pessoas serão afetadas. As pessoas
    perderam a vergonha em mentir…Como já sou uma pessoa quase idosa tenho vergonha do que alguns brasileiros fazem. Para defender seus próprios
    interesses, usam as pessoas e se valem do desconhecimento, para atacar uma proposta sólida como esta. Vamos acordar e ter serenidade… Os grandes fazendeiros que desenvolvem atividades irregulares perante a Lei e se sentirem lesados deverão reclamar seus direitos com
    o ICMBio, mas por favor, não levem o pânico e a mentira, aos agricultures e
    municipes de nossa região. Recomendo a todos que procurem a via do diálogo com o ICMBio. O confrontamento, como ocorreu em Pindamonhangaba, é prejudicial a todos.

  • Olá pessoal

    Ecologia e preservação do meio ambiente com certeza é uma emergência em nosso planeta. Comungo dessa idéia desde que me entendo por gente, a ponto de sair de São Paulo e mudar para o Vale do Paraíba há 30 anos por opção de vida, buscando um lugar onde o ideal seria criar meus filhos em um ambiente limpo, saudável e onde a salada pudesse ser feita com alface da nossa horta.
    Uma vez um presidente da república tomou o meu dinheiro e disse que eu era especulador. Durante anos foi uma correria para eu poder acertar os direitos de meus empregados, arrumar a minha casa e voltar a trabalhar em minhas terras (pois na ocasião eu fiquei com 50 reais como todos os outros brasileiros). Nesse momento eu pensei: para que será que servem os presidentes? Será que ele não sabe que o leite que eu ordenho das minhas vacas, o feijão que eu planto em parceria com os meus colaboradores, a verdura que meus filhos vendem na feira tem tão pouca importância para o país, a ponto dele achar que os 10 anos do pouco dinheirinho que eu tinha economizado para ter uma garantia de poder dar educação e saúde para minha família seria tão terrível assim para a economia de nosso país?
    Nesse momento eu pensei que esse fosse o pior presidente que o meu tão amado país poderia ter.
    Passaram-se mais 20 anos e agora o presidente que se diz “do povo” quer tirar as nossas terras, com o discurso de que o governo com meia dúzia de recém-formados técnicos em algumas áreas de meio ambiente, usando o nome do ilustre e nobre Chico Mendes vem muito despreparadamente e sem a menor noção do impacto social que isso possa representar, propor que o governo jogue para qualquer outro canto que não o nosso tão amado chão, esses tão maravilhosos herdeiros; administradores; fazendeiros; parceiros; caseiros; peões; empregados e meeiros; enfim toda essa gente que de uma forma ou de outra tem a sua vida marcada com paz, alegria, amor e suor derramado nessas terras. Esses representantes do ICM (Instituto Chico Mendes) tem a petulância de se dizerem mais capazes e sensíveis a ponto de cuidarem de nossas terras melhor do que nós.
    Será que desta vez nós podemos achar que o governo tem mais razão do que das outras vezes? Será que o Parque da Mantiqueira será mais bem cuidado do que os outros que já existem, e que em todos os anos são constatadas queimadas, caçadores e cortadores de palmitos? Será que dessa vez eles vão realmente indenizar as pessoas que tiverem esse direito, coisa que até agora não aconteceu nos outros parques já constituídos?
    Fico outra vez a pensar: sem dinheiro, sem crédito, porém com dignidade e perseverança, eu consegui me reerguer e até gostar da vida de novo, pois tinha me sobrado as terras.
    Desta vez parece que o que ele quer são as terras, diga-se de passagem, terras essas onde tão principalmente a natureza, a ecologia, os pássaros, a mata, as águas e os duendes são respeitados e preservados.
    Fico a imaginar o que fará um chefe de família que desde que se conhece por gente, morou e criou com dignidade a sua família num pedacinho de chão tão próximo do paraíso. O que fará esse senhor com a sua família que agora terá que encarar a dura realidade de morar em um lugar, onde os jovens adolescentes da idade de seus filhos ao invés de ajudarem os pais na lavoura, na lida com o gado e nos cuidados com a ecologia e com a natureza vivem num mundo de violência, drogas e prostituição. Que futuro terá a filha adolescente desse pai e o garoto criado na ingenuidade da roça? Será que eles vão ser tão mais úteis para o planeta e para a ecologia, do que se eles estivessem vivendo aonde eles nasceram?
    Será que desta vez nós vamos sobreviver?

  • não deixem que o gomeral e o resto da mantiqueira fique as traças(como se encontram os diversos parques pelo brasil afora), se tirarem as pessoas de lá, quem vai cuidar daquele chão? o governo? não sou contra o parque, sou contra a forma que querem implantar

  • Olá pessoal, vocês já viram um incendio na mata? Eu não estou falando incendio no pasto , falo de arvores altas, mata fechada, que fazem parte de propriedades particulares, e que ocorrem principalmente no inverno. Pois isso acontece muito, por inúmeros motivos. A vigilância é constante, cada proprietario vigia a sua terra e a do vizinho, há um pacto moral e real de preservar. Não precisa de reuniões, de cartas de intenções, só existe a vontade, a responsabilidade de manter aquela mata maravilhosa viva. Quando vem o fogo, TODOS, não importa se é o dono, o empregado o vizinho, saem para apagar o fogo. Só quem viu, quem viveu essa situação sabe como é dificil, pois o fogo vem de cima das arvores. Os bombeiros nunca são suficientes para atender todos os chamados. A mata depende dessa pessoas para continuar viva. Pessoas que voltam para casa queimadas,com falta de ar de tanto inalar fumaça, as brasas caem dentro das botas, mas não há tempo para retirá-las, a sede é insuportavel, o calor e o cansaço extremo. Pessoal la não tem agua nas mangueiras, não tem hidrante, e nem esses aviões que despejam essas substancias que vemos em filmes. Lá tem machado, foice, penado e outros utencílios, é no braço que apagamos o fogo nas nossas matas, e quando voce acha que o fogo está controlado, um tronco de arvore que estava em brasa no seu interior, começa o fogo novamente, e com ele a correria dos homens que por Tincrivel que pareça arrumam forças para subir morro pisando em vegetação rasteira já queimada e ainda muito quente. ISSO É AMOR À TERRA, ISSO É PRESERVAR DE VERDADE. Vocês acham que o governo vai fazer algo parecido com isso? SÓ CONSEGUIREMOS SALVAR A SERRA DA MANTIQUEIRA SE CADA UM DE NÓS FIZER O SEU TRABALHO, EU ACREDITO NO HOMEN, AS NOSSAS INSTITUIÇÕES NÃO NOS DÃO EXEMPLOS DE MORAL DIGNIDADE, RESPONSABILIDADE, E PRICIPALMENTE DE INTERESSE EM PRESERVAR QUALQUER COISA.VIVEMOS UM ETERNO CONTO DE FADAS, CRIAM PROJETOS COMO ESTE PARA FAZER DE CONTA QUE PRESERVAM AS NOSSAS MATAS, DEVEMOS DAR UM BASTA NESSAS HISTORIAS DA COROCHINHA. DEIXEM POR NOSSA CONTA, NÓS ESTAMOS FAZENDO A NOSSA PARTE E MUITO BEM FEITA PODEM ACREDITAR. Tãnia Voorwald

  • Simplesmente ridícula a iniciativa. A Serra da Mantiqueira está muito bem preservada, obrigado. Alguém acha que o Governo Federal irá fiscalizar ou tomar conta de alguma coisa? Vejam a situação do Parque Nacional de Itatiaia. Ladrões de palmito furtam todos os dias, o parque está todo depredado, lamentável. Hoje o modelo mundialmente utilizada é o da APA, em que se privilegia o desenvolvimento sustentável. Sou totalmente contra a criação deste parque!!

  • Vocês já compararam esse PARNA com outros 6 projetos de conservação integral ICM Bio? Este PARNA fica com nota 2: bomba no estudo de uso, ocupação do solo, censitário, fundiário, até na especificação das espécies ameaçadas. Só tem a cobertura vegetal por satélite de 2003.
    Qual é o tamanho da área de amortecimento do Parque? Quais as restrições de uso dessa área? Qual é a produção rural e o emprego anual que serão perdidos no Parque e na área de amortecimento? Hoje e no futuro? Como serão compensados?
    Qual vai ser o PIB – a riqueza real – relativo das cidades afetadas x outras cidades no tempo? Não achei nada disso.
    O projeto não é inteligível, não identifica o impacto regional.
    É um cheque em branco, para sacar até 100% da propriedade, da renda, do emprego, da sua vida de 500.000 pessoas.
    Fala sério. O turismo emprega menos gente e gente mais qualificada que o trabalho rural, sem falar que é sazonal. Interior vive da agropecuária.
    Cidades como Delfim e Piquete jamais poderão crescer sua produção e ao contrário reduzirão. Como o resto do Brasil cresce, em termos reais, a cidade fica para trás.
    Quem fica no Parque sem ser indenizado 70 anos ou mais, perde saúde, patrimônio e renda.
    Além disso, no Brasil, o que é público não é de ninguém. O dono tem cuidado da terra e recuperado a mata da APA, hoje. Se 1, 2 ou 3não respeitam a Lei, então a APA que os puna. O Parque pune todo o resto que está cuidando da mata.
    O Parque inverte a ordem de tudo, não só nisso, por isso é injusto.
    Estive no Parque do Itatiaia, é chocante. As pessoas não podem sair de lá dignamente pois não foram indenizadas faz 72 anos. Não podem arrumar estrada, reformar casa, construir nada, criar mais nada além do que criavam antes, gado tem que ficar confinado e quem não tem dinheiro para ração tem que vender o gado … gado morre e não pode ser substituído … daqui há pouco se o cachorro morre também não pode … as restrições são tantas que as pessoas ficam sufocada e dão-lhes multas, inquéritos, processos, prejuízos e custos para sobreviver lá.
    Parque = perda de negócios – qualidade, quantidade, condições de comprar e vender; redução de preço, aumento de custos, redução de renda, desvalorização de terra, desemprego, miséria jurídica, festa de maloqueiros, a classe que inclui caçadores, vândalos e drogados.
    É uma verdadeira inversão da ordem, injusta, há 72 anos.
    O Estado precisa repensar a forma de proteger o meio ambiente e usar mais o capital privado: a APA Turbinada, as RPPN, o Refúgio da Vida Silvestre, o Monumento Natural … são tão eficazes quanto o Parque, gastam menos dinheiro público, geram um círculo virtuoso entre preservação, Estado e comunidade. O Parque é o oposto. Aprendamos com a experiência como fazem os animais, não os precisamos estudar para copiar.

  • Ola, eu sou de Guaratinguetá e meus pais tem um sítio no Bairro do Gomeral, nesta tarde presenciei uma sena que fiquei espantado.Os meus pais já tinham me falado mas eu achei que era exagero,foi quando eu vi.Nossos vizinhos estão tão nervosos com a criação deste parque que ficaram doentes.O marido que eu prefiro não escrever o nome mas todos lá do gomeral já sabem, numa tremedeira de dá medo a esposa tomando tanto remédio controlado que aonde encosta ela dorme.Eu não sei quem tá certo, só sei, que eles estão lá a mais de 40 anos e vivem dá terra,sem outro sustento, foi a única coisa que conseguiram na vida.Temo pela vida deles.Estão numa tristeza de dar dó.CUIDADO COM OQUE VCS ESTÃO FAZENDO ……

  • Primeiro quero destacar que todas as manifestações a favor do parque são de "anonimos". Porque não se identificam? Têm medo, vergonha ou não existem. Segundo, quero dizer a todos que a APRUMAN está realizando um vídeo para mostrar a miséria em que vivem os proprietários do PARNA da Bocaina, com cenas que provam que estão impedidos pelo ICMBIO de plantar milho, feijão, aumentar o gado, reformar cercas e casas EM SUAS PROPRIAS TERRAS, porque mesmo depois de 38 anos da criação do Parque, ainda não foram indenizados. Voces também verão a degradação existente no Parque da Bocaina, que segundo o proprio site dele informa que são 5 funcionários para cuidar de 100 mil hectares. Depois, desse vídeo, que circulará na internet, que ver se os "anonimos" terão coragem de continuar a defender um PARNA. MEIO AMBIENTE SIM, PARQUE NACIONAL NÃO. A APA da Mantiqueira é exuberante e se alguem diz o contrário ou não a conhece ou é mentiroso. Paulo Cesar da Silva – Lorena.

  • Essa é uma questão muito complicada …
    Faz 25 anos que existe a APA da Mantiqueira! Vi hoje em um documento chamado “Diagnóstico das Unidades de Conservação do corredor ecológico da Mantiqueira”. Este estudo foi feito para identificar a situação das UCs da Mantiqueira quanto as potencialidades e demandas de gestão. Dá para notar no documento todo, que em todas as unidades de conservação tem problemas fundiários com pessoas residindo dentro dos Parques.

    Leia o item que fala especificamente sobre a APA da Serra da Mantiqueira: nota-se o número reduzido de funcionários e de infra-estrutura disponível para a manutenção da área de proteção, pouquíssimas atividades desenvolvidas pela nossa Unidade de Conservação e o consequente uso conflitante que afeta a Unidade e o entorno.

    Engraçado que não funciona nem como uma área de proteção ambiental, não teve recursos financeiros para ter funcionários qualificados e nem infra estrutura. Como vão garantir o Parque Nacional? Estou começando a acreditar que esse projeto será somente para o povo ver e achar que o governo está fazendo alguma coisa.

    Ah! E tem mais! Se os moradores mantiveram áreas de florestas no terreno foi ou por iniciativa própria ou para obedecer a legislação vigente. Porém, nunca soube de atividades educativas ou de orientação com os moradores da zona rural de Guaratinguetá. …

    Desse jeito fica difícil acreditar que um Parque Nacional desse tamanho vai dar certo! Isso é só APARÊNCIA …

    VEJA O VÍDEO DE GUARATINGUETÁ:
    http://www.youtube.com/watch?v=tSZFEZ1ZSfE

  • sou a favor da criação do parque mas que as pessoas que la residem devem permanecer e serem contratadas para manutenção do parque, pois as mesma ja fazem isso a anos e agora querem tirarem elas de la um absurdo.

    roberto gonçalves dutra- Aparecida

  • Uma das formas de se rever o projeto e pedir que seja melhor analisado em relação aos moradores que estão incluídos no limite do parque é um abaixo assinado CONTRA o projeto que estão propondo.

    É importante isso porque só assim conseguiremos articular uma nova proposta com a inclusão dos moradores dos municípios!

    Por favor, quem for contra a atual proposta, participe com o abaixo assinado online!

    Eu tentei criar um site para abaixo assinado online, e para que tenha assinatura válida, a pessoa que for inscrever-se no abaixoassinado precisa ser votante. Logo uma informação essencial para o abaixoassinado seria:

    – número do título de eleitor;
    – endereço do cidadão: para caracterizar o estado que ele reside – para a questão do requisito de manifestar vontade popular em pelo menos cinco estados;
    – telefone que permita entrar em contato, é valido em substituição ao endereço;
    data de nascimento, obviamente menores de idade não podem participar pois não são considerados aptos segundo o Código Civil.

    ACESSE O LINK ABAIXO:
    http://www.abaixoassinado.org/ abaixoassinados/5541

    Agradeço a atenção …

    Andressa F. Ribeiro

  • parte 1: A proposta do Parque Nacional Altos da Mantiqueira é uma alegria e é bem vinda na região. Recordando que o Parque é Nacional, não é só o interesse local que deve ser ouvido, mas o de todos os brasileiros. E assim como tem pessoas contrárias a proposta, saibam todos que tem muitas pessoas a favor, proprietários rurais, nas áreas afetadas pelo Parque Altos da Mantiqueira inclusive. Eu sou um deles, e conheço outros. Sou profissional liberal, trabalho na região há muitos anos, convivo com os proprietários locais, conheço os sindicatos rurais de Lorena, Piquete, Cruzeiro e Guaratinguetá. Participei por alguns anos do Comitê de Águas do Rio Paraíba do Sul e estive presente nas consultas públicas de Pindamonhangaba e Cruzeiro. Conheço a floresta e muitos caminhos que percorrem a serra, e posso assegurar para aqueles que lêem este comentário e não conhecem a região, que se partes da floresta estão bem conservadas, é principalmente por que: são áreas de difícil, do contrário já teriam virado carvão, pasto ou eucalipto. Além disso, faço aqui um alerta, pois em muitas áreas florestadas na Serra da Mantiqueira é isso o que está acontecendo agora, enquanto escrevo estas linhas. Tem florestas nativas na Mantiqueira virando carvão! Isso mesmo, carvão. Isso acontece em Guaratinguetá, Piquete, Cruzeiro, Delfim Moreira e Marmelópolis, só para citar os locais que conheço pessoalmente. Não foram divulgados oficialmente pelo ICMBio o número total de propriedades envolvidas, nem o número de famílias que eventualmente moram na região e que serão desapropriadas, mas pelos mapas que foram apresentados, até onde se percebe (para aqueles que conhecem a região), que serão muito poucas, e não deve chegar as centenas, como disse o João Pedro aqui no blog. Dizer por tanto que mais de 400 mil pessoas serão afetadas é mais que exagero. A população total, somando velhos e crianças recém nascidas, nos 17 municípios atingidos pelo parque por pouco ultrapassa esse número. Difícil saber como serão todos afetados. Além disso, é de esperar que muitas pessoas, talvez centenas ou mais, serão afetados positivamente, ou será que só existem impactos negativos na criação de um parque nacional? Estudos do INPE (Santos, 2000) que analisaram a paisagem da região, justamente do corredor onde se insere a proposta do PARQUE, indicando grande risco de fragmentação do corredor pela contínua pressão antrópica sobre as áreas de conexão dos principais fragmentos. Este mesmo estudo aponta a urgência em garantir mecanismos mais eficientes para a conservação, sugerindo a criação de um parque nacional como a melhor forma de fazê-lo. Com relação a efetividade do papel das APAS e da APA da Mantiqueira em específico para a promoção da conservação da natureza, são muitos os estudiosos, no Brasil e no exterior, que concluem que as APAs são uma figura de proteção frágil e com poucas possibilidades de sucesso, tanto mais em países como o Brasil, onde por força de nossas heranças culturais (que remontam o tempo do império e da primeira república), colocam o uso privado e a propriedade privada acima do interesse comum e publico.

  • parte 2: O processo de criação do Parque tem sido muito criticado, mas é normal, afinal é uma ação de forte impacto, porém, eles não são só negativos. Vejam a questão do ICMS Ecológico que vai reverter para os municípios, o estímulo ao turismo, e especialmente a proteção das águas e dos demais serviços ambientais. Viveremos muito bem no futuro sem vacas, sem eucaliptais na serra, sem loteamentos clandestinos, mas sem água não temos futuro. Um parque nacional é do interesse de toda a nação brasileira, de todos os brasileiros. Os parques nacionais sofrem problemas sérios de falta de recursos financeiros e humanos, isso é fato. E então eu pergunto: como vai o postinho de saúde aí próximo das suas casas? E a escolinha do bairro rural? E a coleta de esgoto e o tratamento do lixo? Será que são somente os parques nacionais que não estão cumprindo plenamente com sua função? Significa então, que o governo não deve mais construir escolas, postos de saúde, melhorar o serviço publico, criar mais parques nacionais, criar reservas ecológicas, proteger o que resta, para que todos se beneficiem? Das áreas que estão incluídas dentro da proposta do parque mais de 60% são terras onde a legislação atual já as define como de uso restrito ou de preservação permanente – APP. Uma vez que não pode haver atividade de exploração (só preservação) nestas áreas, é natural que o governo tenha a intenção de criar um parque nestas serras. A presença do parque nacional não muda a legislação e a forma de licenciamento das atividades econômicas fora do parque. Estradas, pontes, loteamentos, atividades como criação de peixes, plantio de eucalipto, isso tudo precisa de projeto e de licenciamento ambiental. É mentira dizer que as licenças para construção de estradas não são emitidas por causa da APA da Mantiqueira. Muitas licenças não saem por que os interessados não cumprem os procedimentos técnicos necessários, outras por que têm projetos ruins ou inconsistentes, palavras do chefe da APA da Mantiqueira. As ameaças à Serra da Mantiqueira são muitas: plantação e corte de eucalipto em áreas de preservação permanente; exploração mineral em áreas de florestas conservadas e nas margens de rios, caça e coleta de animais silvestres, extração de palmito e outras espécies da flora; loteamentos irregulares; construção de estradas irregulares; grilagem de terras; ocupação e exploração de áreas acima dos 1800 metros para criação de cavalos e ovelhas; corte de floresta nativa para fabricação de carvão; substituição de florestas nativas por roças de bananas; construções de casas de veraneio em áreas de preservação permanente, e por aí a fora. Cidades como Delfim Moreira e Piquete, por exemplo, são municípios montanhosos e com grandes florestas, terrenos impróprios para a agricultura ou outras atividades econômicas relacionadas há produção agrícola e pecuária. Quem afirma é a EMBRAPA. Por outro lado, são municípios ricos em biodiversidade e abundantes em água. A vocação destes municípios é o turismo e a produção de serviços e bens ambientais. Querer que todo o município brasileiro se desenvolva como Campinas ou Ponta Grossa, é no mínimo não levar em consideração as vocações naturais de cada região, base para um planejamento sustentável e de longo prazo. Encerro aqui dizendo a todos que meus comentários são anônimos por que aqueles aqui na região que apóiam o parque, estão sendo ameaçados, até de morte. Não quero levar tiro ou ser intimidado em minha própria cidade, em meu próprio país, simplesmente por ter uma opinião a favor da conservação e deste Parque. Advogados ignorantes, capangas armados, manipulação das pessoas simples da terra, violência verbal, intimidação e manipulação política tem sido até aqui os principais argumentos concretos daqueles que se colocam contra o parque.

    Um anônimo defensor da Conservação e do Parque Altos da Mantiqueira.

  • Como já mencionei linhas acima, OS QUE SE MANIFESTAM FAVORÁVEIS AO PARQUE, não têm coragem de escrever seus nomes, mantendo-se ANÔNIMOS.
    Afinal porque voces não se identificam? TÊM MEDO DE QUE?
    Sugiro a todos que estejam acompanhando estes comentários QUE DESCONSIDEREM AS OPINIÕES DESSES MENTIROSOS E MEDROSOS.
    Quem sabe o que diz e tem conviccão de suas opiniões, assume a responsabilidade pelo que diz.
    Tudo leva a crer que os autores desta proposta, vendo que a imensa maioria É CONTRÁRIA AO PARQUE, insere ou pede a alguém que se manifeste FAVORÁVEL, porém, NÃO SE IDENTIFICAM.
    Sugiro aos criadores deste Blog, para que haja total transparência de seus propósitos, que só permitam comentários IDENTIFICADOS. Assim, saberemos se realmente há ALGUEM À FAVOR DO PARQUE. Caso contrário, considero que SÃO TODOS CONTRA – Paulo Cesar da Silva – Lorena.

  • Prezado ANONIMO 1 e 2. Eu havia me proposto a não ler nenhum comentário de anonimos, porque considero que pessoas que não assumem publicamente o que dizem, não são merecedoras de crédito. Como seu comentário está logo acima do meu, resolvi dar uma olhada nos seus argumentos. E, lendo, identifiquei quem é voce, porque ao dizer que sua propriedade está no parque, voce mentiu, pois, como voce e sua esposa (que são do Paraná, daí porque voce fez referencia a cidade de Ponta Grossa) ajudaram a desenhar este parque, seu imóvel foi poupado, foi contornado ficando fora do Parque. AGORA ENTENDO PORQUE VOCE SE MANTÉM ANONIMO, SEUS VIZINHOS, QUE SEM SABEREM DOS PROPÓSITOS DE VOCES, TÃO BEM OS ACOLHERAM, ESTÃO REVOLTADOS COM A TRAIÇÃO DE VOCES.
    Como voces moram a pouco tempo na região, não estão aptos a fazerem qualquer comentário, especialmente porque voces têm interesses pessoais na criação desse Parque.
    Sou proprietário de terras e advogado, e não fosse o fato de voce esconder-se sob o anonimato (embora eu saiba quem é voce), certamente, em nome da classe, voce seria processado na forma da lei. Não ha manipulação, o que há é orientação, porque a maior parte das pessoas desconhecem seus direitos. Se o seu trabalho é em nome do meio ambiente apropriar-se de terras alheias, o meu, como advogado com muito orgulho, é defender os mais fracos sem nada cobrar por isso. Em uma reunião em que participamos juntos, voce pretendeu convencer seus vizinhos que o Parque é uma maravilha, sem dizer a eles que na Bocaina os proprietários estão sendo desrespeitados pelo ICMBIO, que age como se as terras dentro do Parque que NÃO FORAM INDENIZADAS, fosse propriedade da União. Voce precisa saber que neste País existem Leis que garantem o direito de propriedade. Enfim, lutaremos até o fim para evitar a criação desse Parque, porque não aceitaremos que o ICMBIO desrespeite nossos direitos e nos tratem como invasores de nossas proprias terras. CLARO QUE VOCE TEM DE SE MANTER ANONIMO PARA OS OUTROS, PORQUE SE ESTE PARQUE FOSSE CRIADO, SUPONHO QUE EM RELAÇÃO A SEUS VIZINHOS (que graças à Deus não sou) TALVEZ VOCE TENHA MESMO RISCO DE VIDA.
    Se quizer ter um contato pessoal, fico à disposição, para mostrar-lhe o descalabro que são os Parque Nacionais neste País. Ao contrário de voce, faço questão de identificar-me a assumir toda a responsabilidade pelo que tenho escrito, pois, tenho firmeza de caráter. Paulo Cesar da Silva – Lorena

  • Concordo com o Sr. Paulo Cesar, muito apropriadas suas colocações. Estas pessoas que encamparam este projeto nem são da região, aqui tiveram apoio de rico empresário (de olho nas ditas compensações ambientais), chegaram sem eira nem beira, se deram bem em ONG ambientalista. O interessante é que na proposta de criação no site do Chico Mendes já não aparecem os apoios… interessante que tais pessoas em nome do bem comum, estejam se dando tão bem em cima da "desgraça" de tantas pessoas – idosos doentes, com síndrome de ansiedade por não saber o futuro… gente da terra, que fez por merecer. Não sairam fugidos por haverem se envolvidos em outras questões fundiárias no sul, lá quase foram linchados!!!
    Que voltem para o lugar de onde vieram e deixem nosso querido vale em paz!
    Que o Instituto Oikos, a diretoria do parque estadual de Campos do Jordão e o diretor da APA Mantiqueira procurem projetos menos impactantes à população, cuidem do que já existe e deixem a população do Vale em paz!

  • CARTA ABERTA À POPULAÇÃO PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA
    O
    Projeto/Proposta de criação e implantação do PARQUE NACIONAL ALTOS DA
    MANTIQUEIRA, elaborado pelo INSTITUTO CHICO MENDES/ MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE
    (ICMBIO/MMA), ESTÁ ILEGAL, incompleto, e PRECISA SER IMEDIATAMENTE SUSPENSO. É
    um projeto que fere direitos fundamentais da propriedade e coloca as autoridades
    locais, agricultores afetados e toda a população, em total constrangimento
    moral.
    A ausência da descrição técnico-jurídica da área do Parque é uma
    ilegalidade que transforma o aludido projeto num instrumento de violência e
    abuso aos direitos dos cidadãos, passível de punição judicial e
    indenização por danos morais. A Lei das Desapropriações é clara no sentido
    de que o poder público tem o dever de descrever tecnicamente o imóvel a ser
    desapropriado (limites e confrontações), fixando-lhe o justo valor. O Projeto
    do Parque Nacional Altos da Mantiqueira, além de não descrever os limites da
    área a ser desapropriada, disponibilizou na internet mapas imprecisos (que não
    fornecem aos proprietários das terras envolvidas a real situação do seu
    imóvel, ou seja, se está ou não está dentro do Parque). Com isso, o cidadão
    fica sem a possibilidade de defesa perante a atitude do poder público (isso
    também é proibido por lei). A ausência de um pré-estaqueamento dos limites
    do Parque gera os mesmos efeitos da ilegalidade e do constrangimento. Mesmo nas
    áreas consideradas bairros com alta densidade populacional, que, segundo o
    Projeto foram excluídas do Parque, não houve um trabalho de orientação, de
    visitação, de demarcação dos limites do Parque, insuflando nessas
    populações um estado de insegurança, medo, desconfiança sobre seu
    patrimônio e seu futuro (isso é constrangimento). Não é concebível que o
    poder público aja desta forma, trazendo a insegurança aos cidadãos; suas
    ações devem conter os princípios da constitucionalidade, da legalidade, da
    transparência, da objetividade, entre outros.
    Da mesma forma, e por outro
    lado, o aludido Projeto do Parque não apresentou qualquer estudo
    sócio-econômico, ou seja, não demonstra os impactos sociais do desemprego, do
    desabrigo de famílias, e suas conseqüências. Por este aspecto, também é
    ilegal, posto que deixa de colocar na balança o real interesse público de
    preservar o meio ambiente, diante dos impactos sociais resultantes (o interesse
    público em desapropriar qualquer área tem, sempre, que ser justificado sob
    todos os aspectos).
    Ressalta-se que, com as ilegalidades cometidas pelo
    Projeto, e os danos morais daí resultantes, existem fortes indícios de que o
    Poder Judiciário, acionado por aqueles que se sentem lesados, determine ao
    Ministério do Meio Ambiente e ao Instituto Chico Mendes, o pagamento de
    indenizações morais (o que seria um desnecessário gasto de dinheiro público
    face à irresponsabilidade de poucos inadvertidos criadores do Projeto).
    Há,
    ainda, que ser ressaltado o notório descaso com os demais Parques Nacionais
    que, sem recursos, sofrem desgastes de toda monta. Não houve, no Projeto, a
    nomeação/empenho da verba para as referidas indenizações das
    desapropriações (em vários casos de desapropriações o Governo não pagou
    aos proprietários os valores prometidos). Nem mesmo foi discriminado no Projeto
    o corpo de funcionários responsáveis por seu manejo e cuidado, nem a forma da
    investidura nesses cargos públicos.
    Por todas essas ilegalidades e equívocos,
    cabe ao MMA/ICMBIO retratar-se perante a população e, imediatamente,
    determinar a SUSPENSÃO DO PROJETO, até que tais irregularidades sejam sanadas.
    Cabe a todo Cidadão resguardar a correta atuação do poder público, o
    ordenamento jurídico do País, e os direitos de todos. O HOMEM DO CAMPO É A
    BASE DE TODA CIVILIZAÇÃO.
    CONSULTE SEMPRE UM PROFISSIONAL DO
    DIREITO.
    TRANSMITA ESTA MENSAGEM.

  • PREZADOS SENHORES
    Sou contra a instalação do PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA e conclamo a todas as pessoas de bem que sejam também contra.Isto porque ,caso não saibam,onde estão querendo instalar este parque,já há uma LEI FEDERAL que enquadra esta área em uma APA(AREA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL) “Criada pelo Decreto Federal n° 91.304, em 3 de junho de 1985, a APA envolve uma área total de 422.873 ha (equivalente a 422.000 campos de futebol!). sendo, gerida pelo Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis – Ibama (www.ibama.gov.br).
    Não bastasse uma lei federal ,há leis estaduais e municipais(veja o PLANO DIRETOR das cidades que estão sendo afetadas pelo PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA) que protegem toda esta área .Portanto bastaria fazer cumprir estas leis que já protegem a fauna e a flora desta imensa área.Convoco o bom senso de todos os cidadãos e sugiro que façam um exercício de cidadania..Pesquisem em que estado se encontram todos os parques nacionais espalhados por este imenso pais .Esta pesquisa indicará o total abandono destas instituições pois faltam-lhes recursos federais que atendam as mais básicas necessidades inerentes ao bom funcionamento destas instituições..Faltam recursos de toda a ordem e que transformaram estes parques nacionais em ilhas de abandono e descaso .As verbas de desapropriação das áreas sumiram e muitos dos proprietários de terras brigam há décadas para verem atendidas o seu direito à propriedade garantido pela constituição.O engraçado é que faltam recursos em todos os parques,mas sobram quando alguma verba aparece para a instalação de outros parques fantasmas!!! Sejamos sinceros.A quem interessa a instalação deste parque?Há indícios de que uma meia dúzia de aproveitadores,travestidos de“amigos do verde”,estão tentando abocanhar uma bolada vindo de ONG’S INTERNACIONAIS,que possuem programas de doação de grandes verbas a países do terceiro mundo e que sejam amparadas por ONG’S ou entidades governamentais e que tiram das suas cartolas projetos de “interesse público” .No meu entendimento nós devemos repudiar mais uma tramóia que tem como único objetivo vilipidiar o erário público e enganar as pessoas de boa fé.
    Sou a favor de que se apliquem as leis já existentes de preservação do meio ambiente.Doa a quem doer e sejam lá aonde for.
    A maneira como estão sendo convocadas estas CONSULTAS PÚBLICAS já indicam o mau cheiro das intenções deste grupo.
    Convoco a todas as pessoas de bem que se informem e usem do questionamento crítico. Voces verão que devemos SER CONTRA ,pois a maneira como tem sido conduzido este processo,não deixa dúvidas de que os interesses são os piores possíveis

    MARCOS

  • Prezados mantenedores do Blog Kampa. Creio que pela quase totalidade de manifestações contrárias, voces já perceberam que ninguém quer ajudar a criar o Parque da Mantiqueira, a não ser os anônimos, os quais têm interesses escusos. Não seria melhor mudar o título para "AJUDE A NÃO CRIAR O PARQUE ALTOS DA MANTIQUEIRA". Fica a sugestão para a reflexão de voces. Peço a todos os que se manifestaram anteriormente que digam o que acham dessa sugestão. Paulo Cesar, Lorena

  • "Todas as antigas matas foram barbaramente destruídas com fogo e machado, e esta falta acabou em muitas partes com os engenhos. Se o governo não tomar enérgicas medidas contra aquela raiva de destruição, sem a qual não se sabe cultivar, depressa se acabarão todas as madeiras e lenhas, os engenhos serão abandonados, as fazendas se esterilização, a população emigrará…a civilização atrasar-se-á, e a apuração da justiça e a punição dos crimes esperimentará cada vez maiores dificuldades no meio dos desertos." José Bonifácio, 1820. O parque nacional altos da mantiqueira chega com 190 anos de atraso.

  • Não seria necessário a criação de nenhum Parque Nacional para a manutenção do ecossistema se os Fiscais do Meio Ambiente fizessem a sua parte. A maioria deles é corrupta e por qualquer bagatela aprovam o corte ilegal de mata nativa para a instalação de pasto e plantação de Eucalipto.
    É só transitar, normalmente na escuridão da noite, pelas estradas que cruzam a Serra da Mantiqueira, para se deparar com vários caminhões transportando várias toras de árvores sem nenhuma vistoria ou fiscalização.
    E o pior é que todo mundo sabe disso e é o que acontece em todos os poucos pedaços de mata que ainda existem.
    Será que esse Parque vai conseguir diminuir essa devastação? Porque será que a Amazônia continua a ser devastada?

  • Vejam que as consultas publicas serao realizadas nos municipios do Parana: Sao Jose dos Pinhais, Guaratuba e Antonina quando o obvio, justo e correto seria realizar proximo dos moradores locais. So o futuro confirmara se aqueles que encampam a criacao do parque se beneficiarao de alguma forma e como mas, suposicoes aa parte, vamos ficar atentos com o lado pratico e nao sermos apenas deslumbrados com discursos ecologicos com o intento de ganhar adeptos para concretizar acoes escusas. So duas perguntas basicas: porque realizar as 3 consultas publicas no PR? Quem tem condicoes financeira de ir? Aqueles a favor da criacao do parque poderia responder a primeira.

  • Realmente é um grande contracenso!!! centenas de parques existentes e esquecidos dos Brasil sendo diariamente saqueados em sua fauna e flora diariamente estão carentes, precisando de cuidados e o governo sempre dizendo sem verbas, sem pessoal, sem,…. sem….!!!!
    porém desapropriar daqueles que nasceram e viveram cuidando como ninguem daquele unico “pedaço de chão” que teem, para isso o governo teria dinheiro??? sem falar que quando se fala em despropriações a avaliação dos valores dessas terras são sempre postas em duvidas, não é verdade?
    Espero que o bom senso de nossos governante apareça, caso contrátrio, perderemos um poucos anos tudo que essas familias em suas pequenas propriedades preservaram por séculos enquanto veveram por lá.

  • Realmente é lamentável ver que as pessoas após 500 anos de exploração da Mata Atlântica tenham coragem de se manisfestarem contra a criação do parte Altos da Mantiqueira… TRATA-SE de uma dívida com a natureza … dessa floresta restam menos de 7% da sua área original. Acaba se mostrando óbvio que os que se mostram contra o Parque devem ter algum tipo de ligação com essa economia de destruição promovida por fazendeiros que preferem dentro de sua ampla ignorância DEVASTAR umas das florestas com maior biodiversidade do mundo para por em seu lugar seus belos gramados… ACORDEM dinheiro não é tudo ! que tipo de paisagem querem deixar pros seus filhos? netos? Saiam dessa zona de ignorância profunda que vocês se instalaram, tentem fazer diferente … estamos em um mundo que precisa de pessoas que plantem árvores e ñ de pessoas que queiram destruir ainda mais… é muito triste ver a falta de amor que as pessoas acima mostram pela natureza… vocês já viram um desmatamento ? já viram uma floresta pegando fogo? já imaginaram como deve ser pros animais que morrem queimados vivos nela? Encontrem dentro de vocês onde está guardado seus corações e pensem melhor nos seus posicionamentos. ESPERO PROFUNDAMENTE QUE O PARQUE SEJA CRIADO E QUE A FLORESTA DENTRO DELE POSSA ENCONTRAR A PAZ QUE MERECE.

  • é onde tem 40mil familha tem voto porque suspendeu o parque agora na epoca da eleição
    sera que depois volta a encher o saco de novo

  • ICMBio / IBAMA volta a investir na criação o PARQUE NACIONAL ALTOS DA MANTIQUEIRA em palestra na UNISAL (Lorena/SP)

    Tema da Palestra:

    Plano de manejo, gestão participativa e proposta de criação do Parque Nacional Alto da Mantiqueira

    Palestrante:

    Clarismundo Benfica do Nascimento – clarismundo.nascimento@ibama.gov.br

    Chefe da Área de Proteção Ambiental da Serra da Mantiqueira – IBAMA (Itamonte/MG)

    Data e horário:

    18 de novembro às 17 horas

    Local:

    UNISAL – Rua D. Bosco, 284 – Lorena / SP – Sala F1

    Evento Gratuito

    Realização:

    COMMAM – Conselho Municipal de Meio Ambiente de Lorena

    Bióloga Mariana dos Santos Siqueira – Secretária Executiva do COMMAM – Conselho Municipal de Meio Ambiente de Lorena

    SEMEAR – Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Rural da Prefeitura Municipal de Lorena – Tel: (12) 3185-3518

    UNISAL – Curso de Geografia (Campus Lorena/SP)

  • O grande problema é que hoje em dia os administradores do ICMBio querem cuidar de Parques Nacionais como se fossem Rebios, o que é um absurdo e me deixa em dúvida se vale a pena ou não a criação do parque.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *