O Brasil é campeão mundial de incidência de raios, e por ano, em media cerca de 100 pessoas morrem após serem atingidas.
Um fato curioso no caso das mortes por raio é que a causa é uma parada cardio-respiratória. Porém o dano ocasionado pelo raio pode ser decorrente da própria voltagem do relâmpago, do trauma provocado pelo raio ou pelo excesso de contrações musculares. A maioria das vítimas fica sem respirar e sem batimentos cardíacos, mas consegue recobrar as funções espontaneamente! Um fato ainda misterioso para a ciência médica.
Para evitar ser atingido por um raio, a Defesa Civil dá as dicas:
– O carro com a janela fechada é um ótimo esconderijo, porque é sustentado por quatro pneus de borracha, material isolante.
– Assim como o carro, a casa fechada serve de abrigo, mas evite falar ao telefone com fio, ligar a TV ou tomar banho durante a tempestade.
– Pontos altos, como morros, e descampados, praias, árvores isoladas, cercas de arame, varais metálicos, linhas aéreas, trilhos, pequenas construções não protegidas como celeiros, tendas, barracos ou veículos sem capota como tratores, motocicletas ou bicicletas, devem ser evitados.
– Não fique próximo a tomadas, canos, janelas e portas metálicas;
– Não toque em equipamentos elétricos que estejam ligados à rede elétrica.

Primeiros Socorros:
As pessoas atingidas por raios receberem uma grande carga elétrica e talvez estejam queimadas, mas elas não carregam cargas elétricas e podem ser socorridas. Uma pessoa aparentemente morta pode ser reanimada através de Reanimação Cárdio Pulmonar. Em grupos atingidos por um raio, aqueles que aparentam estar mortos devem ser os primeiros as serem socorridos e aqueles que apresentam fortes sinais vitais provavelmente se recuperarão espontaneamente, no entanto as queimaduras apresentadas necessitarão de cuidados.

Fonte: Livro The Complete Walker IV
Fonte da Imagem: clique aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *